A água que molha menos… (Nanotecnologia)

A chamada Neowater (http://www.docoop.com) nada mais é do que um produto nanotecnológico. É uma água criada com características físicas semelhantes à água, possui as mesmas propriedades da água intracelular e é mais hidrofóbica (ou seja, molha menos que a água comum). Esta nova água mostrou-se altamente eficaz contra a propagação de algumas bactérias, além disso, pode substituir diversos solventes (como o álcool) e ser usada em medicamentos. A criação desta tecnologia pode ser acompanhada em vídeos disponíveis no YouTube e no próprio site da empresa que comercializa a mesma (http://bit.ly/9X8pQp; http://bit.ly/axRVdy).

Esta inovação tecnológica é um exemplo da Nanotecnologia. Nano é um prefixo que vem do grego (Nânos) e significa “anão”. A nanotecnologia está associada com tecnologias que possibilitam a construção de materiais ou estruturas numa escala extremamente reduzida chamada nanômetro (nm), que corresponde à bilionésima parte do metro ou um milionésimo de milímetro. Mas a nanotecnologia não é apenas física – mas envolve a química, engenharia, biologia, matemática, materiais, computação, eletrônica, óptica e imagens.

As primeiras idéias sobre a miniaturização foram apresentadas por Richard Feynman em 1959 em uma palestra no Instituto de Tecnologia da Califórnia, onde ele sugeriu que, em um futuro não muito distante, os engenheiros poderiam pegar átomos e colocá-los onde bem entendessem, desde que, é claro, não fossem violadas as leis da natureza. Com isso, materiais com propriedades inteiramente novas, poderiam ser criados. Esta palestra, intitulada “Há muito espaço lá embaixo” é, hoje, considerada como o início da nanotecnologia. A idéia de Feynman é que seria possível manipular diretamente os átomos e a partir deles construir novos materiais que não ocorrem naturalmente. Mas a criação da palavra nanotecnologia foi apenas em 1974 por Norio Taniguchi, da Universidade de Tókio. Esta tecnologia só avançou depois da invenção de um instrumento que permite a visualização de átomos, o chamado microscópio de tunelamento na década de 80 por Heinrich Rohrer e Gerd Binnig, dos laboratórios da IBM na Suíça.

Além da Neowater, existem inúmeros exemplos desta nova tecnologia. No Brasil um grupo de pesquisadores da Embrapa desenvolveu uma “língua eletrônica”, que é um dispositivo que combina sensores químicos de espessura nanométrica, com um sofisticado programa de computador para detectar sabores. Esta língua eletrônica, que está patenteada, é mais sensível do que a própria língua humana (Mais: http://bit.ly/aepVVh). Outro exemplo é o nanorobô que pode viajar através da corrente sanguínea levando medicamentos a áreas especificas do corpo ou também podem reparar tecidos danificados (Mais: http://bit.ly/cnX3OS).

Porém estas novas tecnologias devem ser avaliadas quanto aos riscos para a saúde. Um exemplo seria o uso de nanopartículas em embalagens de alimentos para conferir maior resistência ao armazenamento. O problema é que muitas empresas já usam estas nanopartículas em embalagens para alimentos, sem testes prévios, pois poucos estudos foram feitos sobre isso até hoje. Não se sabe se as partículas podem ser transferidas para os alimentos e quais seriam os riscos à saúde, além dos danos ao meio ambiente, depois que as mesmas forem descartadas. Mas por outro lado, alguns cientistas dizem que as nanopartículas estão presentes há muitos anos nos nossos alimentos, mas só agora é que podemos detectá-las.

Apesar da falta de avaliação dos riscos, a Nanotecnologia trará muito mais benefícios do que malefícios para a sociedade. Muitas pesquisas ainda serão necessárias para o desenvolvimento de produtos com esta tecnologia, mas com certeza trará uma grande revolução para diversos setores, entre eles: farmacêutico, médico, eletrônico, computação, têxtil, cosmético, automobilístico, alimentício, entre outros.

Para finalizar, outra informação importante é que foi criado no início de 2010 o primeiro curso de graduação em Nanotecnologia no Brasil na UFRJ e recentemente também na PUC/RJ (Mais em: http://bit.ly/a3cX6m).

Fontes

1. Riboldi, B.M. Nanotecnologia: fundamentos e aplicações. UNESP/Rio Claro, 2009.

2. Silva, C.G. O que é nanotecnologia? 2002 (http://www.comciencia.br).

3. http://www.inovacaotecnologica.com.br

3 respostas em “A água que molha menos… (Nanotecnologia)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s