A polêmica da aprovação do feijão transgênico

Recentemente (set./2011) a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança CTNBio) aprovou o feijão transgênico desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A variedade 100% nacional da espécie carioquinha é resistente à doença conhecida como mosaico dourado. A região sudoeste paulista, responsável por 90% da produção estadual, praticamente deixou de plantar uma das duas safras anuais do grão por causa da praga conhecida como mosca branca.

A aprovação na CTNBio se deu por votação depois de análise técnica de um relatório de 500 páginas elaborado pelos pesquisadores da Embrapa. O transgênico foi aprovado por 15 votos favoráveis, 2 abstenções e 5 manifestações pelo prolongamento das discussões.

Agora, Embrapa realizará ensaios para registrar a aprovação no Ministério da Agricultura que pode demorar até 3 anos para a disponibilização das sementes aos produtores. Segundo um dos Pesquisadores responsáveis, Francisco Aragão, este feijão vem sendo estudado desde 2000 e somente em 2004 a planta foi gerada.

 

Mas as opiniões sobre o tema são divergentes:

Se não ficaram doentes com os alimentos convencionais até hoje consumidos, melhorados frequentemente por mutagênese pesada, e cultivados com pesticidas e fertilizantes, se, em média, estamos ganhando 5 a 6 horas de vida por dia devido à múltiplos fatores ligados à educação, ciência e tecnologia, consumam alegremente e com orgulho o feijão da Embrapa. Como benefício extra, saibam que este feijão receberá menos ou nenhum inseticida, o único recurso existente para reduzir a infestação com a mosca branca, que transmite o vírus. Bom apetite” Francisco G. Nóbrega e Maria Lucia Zaidan Dagli (Professores da Universidade de São Paulo).

“Para garantir que não existe risco para a população de se alimentar com este feijão foram analisados 10 ratos (3 deles foram sacrificados para análises), que foram alimentados por apenas 35 dias com o feijão transgênico comparados com o mesmo feijão não transgênico. Não foram avaliados, ao menos não foram apresentados, dados sobre os efeitos em animais em período de gestação e tampouco estudos de efeitos sobre mais de uma geração, previstos em normas da CTNBio. Como se pode obter dados significativos com a avaliação de 3 animais alimentados durante 35 dias? Lembrando que a população brasileira consome durante toda a vida? Nenhuma revista científica séria no mundo aceitaria um trabalho destes para publicação com esta amostragem, mas os “cientistas” aceitaram” José M.G. Ferraz (membro da CTNBio, pesquisador aposentado da Embrapa, pesquisador convidado do Laboratório de Engenharia Ecológica da Unicamp e diretor da Associação Brasileira de Agroecologia).

“Não vejo a hora de plantar esse feijão” Luis Domingues Ramos (agricultor, produtor em Itapeva, sudoeste paulista).

 “Os ativistas contra transgênicos são mais enfáticos contra esse transgênico, produzido no Brasil, do que contra os feitos pelas grandes empresas internacionais”. Francisco Aragão (Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia).

“A justiça cometerá uma injustiça se barrar o feijão da Embrapa” Walter Colli (professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo e presidente da CTNBio entre 2006 e 2009).

Caso entre de fato em produção, o feijão da Embrapa será a primeira variedade modificada produzida no Brasil, sem participação das grandes empresas multinacionais. Vários outros vegetais transgênicos já foram liberados no Brasil, como a soja e o milho, ambos frutos de pesquisas com o envolvimento de empresas multinacionais. Por que tanta preocupação com uma variedade 100% nacional? Sabemos da dificuldade de realizar pesquisas no Brasil. Para muitos pesquisadores do Brasil esta aprovação é motivo de orgulho.

Para saber mais

Avaliação de risco do feijoeiro transgênico: serenidade na condução e consistência dos resultados (http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=79531)  (http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=79511)
O feijão transgênico da Embrapa é seguro(http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=79573)
 
Fontes
http://revistapesquisa.fapesp.br
http://www.jornaldaciencia.org.br
http://www.estadao.com.br

3 respostas em “A polêmica da aprovação do feijão transgênico

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s